Socialismo e Espiritismo – Por Léon Denis em 1924 – 1º Post

Lobo socialista

O que caracteriza atualmente aos nossos olhos o estado de espírito do Socialismo, à exceção de algumas raras unidades, é o conhecimento insuficiente e muito rudimentar das leis universais; sem observação delas, toda obra humana está condenada por antecipação à impotência, à esterilidade, quando não culmina em desordem, em caos.

A vida das sociedades, como a do Universo, é equilibrada por forças opostas, forças contrárias, o equilíbrio perfeito é a ordem, a paz, a harmonia; mas, desde que uma dessas forças arroja-se sobre as outras, é a perturbação, a confusão, o sofrimento. O estado de inferioridade de nosso mundo provém precisamente da instabilidade das forças físicas e sociais em ação à sua superfície, pois uma se repercute sobre a outra.

Todo passado nos demonstra a predominância das classes elevadas, ditas dirigentes, sobre o povo reduzido ao estado de miséria. Hoje em dia, são as classes trabalhadoras que por vezes desejam alçar-se e dirigir por sua vez a sociedade. Mas o despotismo que vem debaixo não é melhor do que aquele que vem do alto; é talvez pior, pois que mais brutal e mais cego.

(…) Assim, como vimos, os socialistas que se inspiram em certas teorias científicas, erigiram o materialismo e o ateísmo, à altura de um princípio. Fez-se tábua rasa de todas as esperanças no Além, de toda a ideia de imortalidade, de toda concepção de um ideal divino.

E é esse estado de espírito que a torna estéril ou funesta. Assim como já dizia Mazzini, o grande democrata italiano de seu partido, pode-se dizer, de todos os partidos: “Vejo em torno de mim o estado de dissolução, o individualismo ao qual deságua, forçosamente, a ausência de um pensamento religioso, de um pensamento elevado; vejo nessa ausência a causa da perda temporária e aí encontro a explicação de todos os fenômenos que nos entristecem”.

Ainda hoje os socialistas dividem-se em escolas diversas. Os alemães, em número importante, prendem-se às teorias de Karl Marx, que se inspiram no materialismo brutal, preconizam as lutas de classes e sua conclusão, logicamente, desemboca em uma ditadura do proletariado, isto é, no bolchevismo. Ora, sabe-se o que este regime proporcionou à Rússia. Voltaremos mais tarde a tratar deste assunto.

Todos os partidos socialistas têm a ambição legítima de conquistar o poder e substituir-se aos governos “burgueses”. Pelos cartazes verborrágicos, prometem aos eleitores gerar empregos públicos com um espírito de ordem, economia e progresso. Mas, em quase toda parte onde os administradores socialistas se instalaram pôde-se constatar uma recrudescência de processos arbitrários e de desordens nas finanças.

Deixe seu comentário