MANDATO DE AMOR

Belíssimo poema de Casimiro Cunha lembrando-nos do exemplo do discípulo amado do Cristo, em sua missão de luz entre nós, e sugerindo-nos a seguirmos seus passos de luz para construirmos um sacerdócio de amor.

MANDATO DE AMOR

Capítulo II – A Doutrina em versos



AOS ESPÍRITAS

Se queres viver à luz

Do Espiritismo cristão,

Guarda o discípulo amado

No templo do coração.

 

Ele foi o mensageiro

Do Espírito da Verdade

Unindo a ciência e a fé

Nas lutas da humanidade.

Imita o seu sacrifício

Nas oficinas da luz,

Praticando o ensinamento

Do Evangelho de Jesus.

Suporta a calúnia, o apodo,

O ridículo, o tormento,

Sem fugir à tua fé

Nos dias do sofrimento.

Lembra o discípulo e o mestre,

Nosso Mestre e Salvador,

E farás do teu caminho

Um sacerdócio de Amor.

Casimiro Cunha

 – (Poema psicografado por Francisco Cândido Xavier, no dia 31 de março de 1938, em solenidade realizada pela União Espírita Mineira.)

Comentários

  1. Nuno Emanuel 7 de setembro de 2015 Responder

Deixe seu comentário