chico-xavier-homenagem-foto

Nascido em Pedro Leopoldo-MG, em  02 de abril de 1910, Chico Xavier foi batizado com o nome de Francisco de Paula Cândido,  em homenagem ao santo do dia de seu nascimento.

Em 1966, mudou, oficialmente, seu nome para Francisco Cândido Xavier quando chegou da sua segunda viagem aos Estados Unidos.

Escreveu mais de quatrocentos livros, mas nunca admitiu ser o autor de nenhuma obra, pois insistia reproduzir apenas o que os espíritos ditavam. Nunca aceitou o dinheiro lucrado com a venda de seus livros, doando os direitos autorais para a FEB – Federação Espírita Brasileira.

Parnaso de Além-Túmulo, o seu primeiro livro com 256 poemas atribuídos a poetas mortos, foi publicado, pela primeira vez, em 1932.

Psicografou mais de quatrocentos livros. Vendeu mais de cinquenta milhões de exemplares em português, com traduções em  inglês, espanhol, esperanto, francês, alemão, italiano, russo, mandarim, romeno, sueco, grego, húngaro, braile, e etc..

Psicografou cerca de dez mil cartas “de mortos para suas famílias”, nunca tendo cobrado por isso. As cartas eram tidas como psicografias autênticas pelos familiares e algumas chegaram a ser aceitas como provas em casos de julgamentos jurídicos.

Sua entrevista, ao vivo, cedida ao programa Pinga-Fogo da TV Tupi, em 28 de julho de 1971, conseguiu a maior audiência da história da TV brasileira.

  • Ao longo de sua vida, Chico Xavier recebeu o titulo de cidadania em aproximadamente 80 cidades brasileiras;
  • Foi homenageado em filmes e documentários como: “Chico Xavier – O Filme”, “As Mães de Chico Xavier” e “100 Anos com Chico Xavier – Gratidão e Homenagem”;
  • Cantores como Roberto Carlos, Gilberto Gil, Fábio Júnior, Moacir Franco, Nando Cordel, Vanusa e Lucas e Luan, compuseram músicas em sua homenagem
  • Em 1981 foi indicado para o Premio Nobel da Paz;
  • Em 1999, o Governo de Minas Gerais instituiu a “Comenda da Paz Chico Xavier”, lei do Deputado Estadual Paulo Piau, atual prefeito de Uberaba-MG – condecoração que é outorgada anualmente a pessoas físicas ou jurídicas que trabalham pela paz e pelo bem estar social;
  • Em 2000, Chico Xavier foi eleito o “Mineiro do século XX”; por um concurso popular realizado pela Rede Globo de Minas Gerais, tendo vencido com 704.030 votos;
  • Após Chico Xavier falecer, a casa onde ele morou entre 1948 e 1959 e a casa em que ele morou entre 1959 e 2002 foram transformadas em museus sem fins lucrativos, em referência a sua vida e obra, e o interior da Fazenda Modelo de Pedro Leopoldo, local onde ele trabalhou como datilógrafo entre 1930 e o final dos anos 50, também foi transformado em um memorial em sua homenagem;
  • Em 2006, em uma votação popular promovida pela  Revista Época, Chico foi eleito o “O Maior Brasileiro da História“;
  • Em 2009, a Lei nº 12.065 deu o nome “Chico Xavier” ao trecho da rodovia BR 050, entre a divisa dos Estados de São Paulo e Minas Gerais e a divisa dos municípios de Uberaba e Uberlândia;
  • Em 2010, o Correio Brasileiro lançou o selo e o cartão postal comemorativo em homenagem ao centenário do médium. No mesmo ano, a Casa da Moeda do Brasil  lançou a “Medalha Comemorativa do Centenário de Chico Xavier”;
  • Em 2 de abril de 2010, data em que Chico completaria 100 anos, estreou, nos cinemas, “Chico Xavier – O Filme”, baseado na biografia “As Vidas de Chico Xavier”, do jornalista Marcel Souto Maior, dirigido e produzido pelo cineasta Daniel Filho. Nesse filme, Chico Xavier é retratado pelos atores Matheus Costa, Ângelo Antônio e Nelson Xavier, respectivamente, em três fases de sua vida: de 1918 a 1922 – 1931 a 1959 e 1969 a 1975. O filme alcançou a marca de mais de 3,5 milhões de espectadores nos cinemas;
  • Em Outubro de 2012, no programa “O Maior Brasileiro de Todos os Tempos”, transmitido pelo SBT, Chico foi eleito, por voto popular, como “O Maior Brasileiro de Todos os Tempos“. Na semifinal do programa, disputou com Ayrton Senna, venceu com 63,8% dos votos. Na final do programa, Chico disputou com Santos Dumont e Princesa Isabel,   vencendo com 71,4% dos votos. Esse programa foi ao vivo e o repórter Saulo Gomes foi quem defendeu Chico, com embaixador nomeado pelo SBT.
  • Em 2012, recebeu homenagem póstuma do Sport Club Corinthians Paulista – como torcedor nº 000326 – Semper Fidelis.

Chico Xavier desencarnou, em  Uberaba, em 30 de junho de 2002, com 92 anos de idade.

O  Memorial Chico Xavier é uma obra construída pelo Instituto Chico Xavier e a Prefeitura de Uberaba-MG, em homenagem a Chico Xavier, para que sua história seja perpetuada.